6269
post-template-default,single,single-post,postid-6269,single-format-standard,cookies-not-set,qode-social-login-1.1.3,stockholm-core-1.2.1,select-theme-ver-5.3,ajax_updown,page_not_loaded,popup-menu-fade,wpb-js-composer js-comp-ver-6.1,vc_responsive,elementor-default,elementor-kit-6492

Compra de um Bilhete de Comboio | User Journey

Há algumas semanas, voltei a estudar design de UX, também por ser uma designer de Comunicação Multimédia. Estas capacidades que adquiri na Universidade, além de estarem embebidas no core do design de User Interface, ajudam-me a ir para além do design UI em si, aplicando estas características num novo domínio.

Em Portugal, o Design de Serviços está discretamente difundido na Academia e na Sociedade Civil, nomeadamente nos organismos públicos, tanto no Porto como em Lisboa, mas ainda há um longo caminho a percorrer, especificamente ao nível da experiência dos serviços pelos utilizadores.

Neste caso particular, como o Service Design não é a minha área, apliquei o mesmo tipo de métodos, nomeadamente a User Journey para compreender como tanto a experiência online e offline – mesmo quando ajudavas por uma app de bilhetes de comboio – era abordada, de uma forma superficial. 

Este era apenas um exercício para abordar os eventuais problemas que daí poderiam advir, mas funciona como uma linha de raciocínio para futuros projectos.

No Comments

Post a Comment